Diálogo – Fonte de transformações

Celso Braga

28 de dezembro de 2020

Blog do Grupo Bridge

Desenvolvimento humano, transformação cultural e inovação.
Compartilhe este artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

“O conversar é um modo particular de viver junto em coordenação do fazer e emocionar.

Por isso o conversar é construtor de realidades.”

Humberto Maturana

 

A sua capacidade de estabelecer conversas poderosas determinará qual o grau de influência que você pode estabelecer com o seu grupo. Não se trata apenas de falar e sim de ouvir, perguntar, e aprofundar o entendimento sobre o olhar de cada um que está ao seu redor.

Por que chamo de conversas poderosas? Simplesmente porque elas podem te ajudar a ser mais assertivo, empático e mais educativo, garantindo que você seja a pessoa que amplia o que todos conhecem sobre um assunto ou situação.

Para isso, você terá que fazer um esforço e superar os ditos populares que estão entranhados na sua cabeça, como, por exemplo: “Jogar conversa fora”; “ficar de papo furado”, e por aí vai. Isso porque cada conversa importa!

Cada conversa é importante para saber o que os outros pensam, para rever o que você mesmo pensa, para entender quais emoções estão presentes e como podem interferir no que se precisa fazer.

Você precisa ter em sua gestão um tempo dedicado para conversas, a diálogos sobre todos os assuntos que impactam o seu grupo e você mesmo. As pessoas mais influentes sempre têm priorizado este tempo de conversa na agenda, que vai muita além do tempo das tarefas cotidianas, das ações pragmáticas ou de respostas técnicas a serem dadas.

Como você se organiza para isso?

Outro dia estava organizando os desafios de entrega de um time, juntamente com o diretor e os gerentes, e percebi que não havia rituais de conversa programados onde os colaboradores pudessem se expressar. Arrumamos isto, gerando o espaço para tal, e o resultado foi espetacular. Todos se organizaram melhor em suas tarefas, compreenderam os desafios e se ajudaram, combinando, inclusive, tempo para falarem entre si e compartilharem boas práticas que levassem seus resultados a um melhor patamar. Como os líderes em questão abraçaram verdadeiramente este modo de fazer as coisas, puderam dedicar mais tempo a gestão de pessoas e menos ao cotidiano, com isso o resultado do negócio superou as expectativas no número final.

Se você não foi preparado para ter boas conversas em grupo, não se preocupe. Você não está sozinho!

As lideranças foram ensinadas no estilo “manda quem pode e obedece quem tem juízo”, e isto vem desde os tempos na escola. A boa notícia é que todos querem conversar mais, basta oferecer o tempo que poderá comprovar todos interessados em andar a seu lado. Não se trata de fazer o exercício de deixar todos falarem para então você dizer o que quer e pronto, pelo contrário. Tem que ser genuíno, tem que desejar ouvir e se deixar ser contaminado pelas múltiplas visões. Com isso, você perceberá a ampliação de visão do todo, podendo assim fazer bons acordos sobre como as coisas necessitam seguir, além de garantir que as pessoas te ajudarão nisto, não porque você quer, mas porque entendem o propósito e participam do caminho.

Ao melhorar sua capacidade de comunicação, a partir do aumento do fluxo de conversas com as pessoas, você ampliará seu entendimento sobre o engajamento de todos nas mudanças e ações que são necessárias para as coisas evoluírem. É sempre uma questão de crescimento, progressão, evolução. Assim, o diálogo serve ao crescimento do ambiente, de cada pessoa envolvida e de você, que está à frente do grupo.

A fonte das transformações entre você e o grupo se dará à partir do diálogo, do aumento da capacidade de conversarem. Parece fácil, mas não tem sido essa a realidade de muitos brasileiros. Efetivamente, há dados apontando que 60% das famílias não conversam bem e 80% dos líderes não conversam abertamente com seus times. Perdemos a capacidade de conversar e a noção do quão importante isso é, acabamos por dedicar tempo ao operacional e produtivo, muitas vezes nos esquecendo que, via de regra, todos falam entre si.

Bom, precisamos mudar e ampliar nossa capacidade de comunicação, melhorando assim a nossa capacidade de conversar ou dialogar!

O que você pode fazer para evoluir neste ponto?

Três coisas essenciais para se fazer:

1 – Abra espaço claro na agenda para conversas poderosas e profundas com seu grupo pessoal ou profissional;

2 – Não seja o dono da razão! Escute, veja o que as pessoas sentem e pensam para, então, ajustarem como poderão, a partir daí, crescer juntos;

3 – Ressalte o que aprenderam juntos e aproveite para celebrar as novas conquistas com boas rodas de conversa.

Conte com o DUX, assistente de desenvolvimento para seguir em frente, realize a primeira etapa gratuita e construa sua missão de desenvolvimento. Participe dos grupos no telegram e receba insights perfeitos para serem colocados em prática, além de dicas personalizadas todo mês.

ESCRITO POR

Celso Braga

O Celso é um obstinado sonhador e realizador. Sócio-diretor do Grupo Bridge, é casado com a Adriana, pai do Lucas e do Mateus. Adora olhar pra frente e construir o futuro.

Artigos Recentes

Grupo Bridge 2021 © Todos os Direitos Reservados – GB Design Team
small_c_popup.png

Receba nossas notícias

Bridge News