PAIXÃO PELO QUE FAZ – INSPIRANDO PESSOAS!

Celso Braga

17 de março de 2021

Blog do Grupo Bridge

Desenvolvimento humano, transformação cultural e inovação.
Compartilhe este artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

“Ao gostar do que faz, terá energia para ampliar seu olhar sobre todas as coisas”.
Celso Braga

Paixão pelo que se faz é listada como uma das competências mais elevadas na identificação de uma pessoa considerada influente. Gostar profundamente do que está fazendo e, deste modo, procurar evoluir cada vez mais para ser melhor é percebido como algo admirável por quem está ao seu redor. Ainda mais se você tem neste prazer uma forma de compartilhar com outras pessoas as coisas que te fazem evoluir e, desta forma, as fazendo evoluírem também.

Se você gosta do que faz e não cede aos impulsos de fazer as coisas de qualquer forma, apenas para se livrar das tarefas, você realmente se dedica a fazer as coisas sempre melhores. Assim, é possível observar que a energia para o autodesenvolvimento é maior nas pessoas que demonstram real paixão naquilo que se propõem a fazer, pois o cuidado para fazer bem feito é total, e é ainda melhor quando isto implica construir coisas que servem ao bem comum também.

A paixão pelo que se faz não serve apenas para conquistar promoções, ter coisas, ganhar dinheiro, serve também – e principalmente – para alimentar o gosto por ser melhor e tornar as pessoas ao seu redor melhores também.

Outro dia conversava com um diretor de negócios, em uma área super técnica, e ele me confessava que o grande prazer dele era ver as pessoas crescerem. Em todas as áreas do negócio que ele passou seus resultados foram inquestionáveis, sempre entregando a meta e algo mais. Veja que o foco não era puramente a meta. Ele realmente tem paixão por cada coisa que faz.
Você quer inspirar pessoas? Já imaginou tudo o que pode ser feito se você as ajudar a serem melhores?

E você pode fazer isto!
Ao compartilhar sua busca por ser melhor, conhecimentos sobre coisas novas que está aprendendo a fazer, ao ensinar o que já faz com maestria. Isso mesmo, ensinar! Pois, ao ensinar você também aprende, e torna a pessoa que sabe mais capaz de contribuir para a evolução do ambiente.

Porque a fortaleza de um ambiente se constrói na busca por sabermos mais, por compreendermos melhor, e assim, ampliarmos nosso olhar sobre o que está no cenário atual. Ainda assim, é preciso ser cuidadoso e sagaz para, por meio da paixão pelo fazer, ter a força necessária para inspirar as pessoas e, com isso, concretizarem juntos as promessas através da conquista de metas e estratégias.

Só não se engane achando que isto pode ser feito pontualmente, tem que ser algo habitual, feito na jornada e não porque quer alcançar algo momentâneo, tem que ser seu jeito de ser. Portanto, reflita bem se faz o que gosta, se sente que é importante para você o que faz, porque isto pode te dar o impulso certo para partir, determinado a realmente construir um ambiente inspirador.

A virtude da “paixão pelo que faz” – isto mesmo, virtude – não pode ser construída em um curto espaço de tempo, precisa ser algo verdadeiro, que faça parte da sua essência. Isto, possivelmente, traz uma importante reflexão do porquê foi listada como competência para identificar uma liderança melhor, alguém com uma capacidade maior de influência e uma pessoa melhor. Porque é difícil de se obter, demonstra um esforço constante e maior do individuo, demonstra uma tenacidade em obter condições para evoluir com constância. Admirável!
As pessoas não são inspiradas de fora para dentro, mas se inspiram de dentro para fora. Assim eles, vendo seu exemplo, seu modelo, elegerão você como fonte de inspiração. Ao apoiar a evolução das pessoas você age para um bem comum que vai além de si mesmo.

As imagens que temos de pessoas que tem “paixão pelo que faz” passam por nossos ídolos, como Ayrton Senna, Usain Bolt, Madre Tereza, Mahatma Gandhi, e por aí vai. Isso porque eles têm, ou tinham, a busca por serem melhores como forma de evoluir e o desejo visível de tornarem o ambiente melhor para todos. De certa forma, nossos modelos idealizados são aqueles que procuram o bem comum e também procuram o bem para si em suas histórias de vida. Afinal, a “paixão pelo que faz” nos move para um mundo melhor.

Como experimentar a paixão pelo que faz.
1 – Reflita sobre as coisas que gosta e procure ser melhor através do autodesenvolvimento, aprendendo, ensinando e praticando todos os dias;
2 – Planeje como quer ser melhor a cada ano, procure estabelecer metas para si e não desista nos primeiros passos, esteja sempre com abertura para mais novidades e para ajudar os outros;
3 – Compartilhe sempre aquilo que aprende com outras pessoas, com certeza lhe agradecerão e poderão se inspirar em seu modelo de atitude e comportamento.
Conte com o DUX, assistente de desenvolvimento para seguir em frente. Realize a primeira etapa gratuita e construa sua missão de desenvolvimento. Participe também dos grupos no telegram e receba insights perfeitos para serem colocados em prática, além de dicas personalizadas todo mês.

ESCRITO POR

Celso Braga

O Celso é um obstinado sonhador e realizador. Sócio-diretor do Grupo Bridge, é casado com a Adriana, pai do Lucas e do Mateus. Adora olhar pra frente e construir o futuro.

Artigos Recentes

Grupo Bridge 2021 © Todos os Direitos Reservados – GB Design Team
small_c_popup.png

Receba nossas notícias

Bridge News